Psicologia a 'brincar'?

Por Joana Gonçalves - 18 outubro

Criança a brincar


Quando os pais questionam os filhos sobre o que fazem nas consultas de Psicologia (o que é perfeitamente normal), muitas das crianças contam que estiveram a brincar.

Alguns dos pais ficam curiosos, e acabam por questionar o psicólogo sobre o trabalho que vem a ser feito em contexto de consulta. "Mas, afinal, o meu filho vem para aqui brincar?" questionam-se, com o amor e a preocupação de quem gosta de ter, obviamente, os seus pequenos sempre debaixo de olho!

É verdade, pais. Quando se trata das nossas crianças, a melhor forma de estabelecermos uma boa relação com elas, e de, assim, entrarmos no mundo delas, é através do "Brincar". E porquê?

1 - É a brincar que as crianças conseguem entender o mundo que as rodeia;

2 - É a brincar que estas se expressam;

3 - É a brincar que estimulam o seu imaginário e experimentam a fantasia;

4 - É a brincar que desenvolvem competências para lidarem com medos e preocupações;

5 - É a brincar que aprendem a solucionar problemas, tomar decisões e gerir conflitos;

6 - É a brincar que aprendem a importância das regras e dos limites.

Por isso, ainda que estejamos a falar de estratégias psicológicas implementadas num meticulosamente preparado contexto terapêutico, em que tudo o que é pensado e realizado, visa o desenvolvimento de competências que vêm promover o bem-estar emocional da criança, deixem-me deixar bem claro que… é verdade que no psicólogo também se "brinca"! :)

  • Partilhar:

mais artigos

0 comentários